UniRovuma e parceiros reúnem-se em fórum sobre acção humanitária e responsabilidade social

A Universidade Rovuma (UniRovuma) e parceiros defendem mais intervenção em actos sociais para se inverter a actual situação de pobreza que apoquenta milhares de moçambicanos devido às constantes crises naturais e humanas que têm fustigado Moçambique de forma constante e cíclica.

O apelo foi reforçado no II Fórum sobre a Acção Humanitária e Responsabilidade Social, o qual decorreu na vila-sede do distrito de Inhassoro, na província de Inhambane, promovido pela UniRovuma em parceria com a Rádio Moçambique (RM), a UniSave e a Associação Luta Contra a Pobreza, uma agremiação moçambicana de carácter social.

Ao proceder a abertura do encontro, o governador de Inhambane, Daniel Chapo, considerou a iniciativa de brilhante por os organizadores manifestarem, de forma incessante, a sua preocupação em relação às crises e desastres que desgraçam, com insistência, o País.

“É gratificante observar a preocupação que temos notado por parte de muitos intervenientes em torno de esforços tendentes a minimização do sofrimento dos nossos concidadãos afectados por essas crises”, acrescentou o governador de Inhambane.

Ele adiantou ainda que a acção humanitária e responsabilidade social devem envolver a todos moçambicanos, pois os números de cidadãos afectados por essas crises têm aumentado significativamente em Moçambique.

Para Daniel Chapo, não há acção humanitária sem que as pessoas se amem, sintam empatia umas para as outras e sejam humildes e honestas.

Por seu turno, o Magnífico reitor da Universidade Rovuma, Prof. Doutor Mário Jorge Brito dos Santos, considerou que este movimento em prol da acção humanitária e responsabilidade social visa responder ao contexto desafiante que o País enfrenta, que se manifesta por crises consecutivas, de origem natural e humana.

Segundo o Prof. Brito, dados mostram que Moçambique é um dos países mais vulneráveis a eventos climáticos extremos e a desastres naturais, no mundo e, particularmente, em África, como também indicam uma recorrente tendência para o regresso a conflitos armados.

Estas vulnerabilidades, precisou Brito dos Santos, têm tido impactos desastrosos nas vidas dos moçambicanos e, de acordo com as suas palavras, este contexto desafiante e de vulnerabilidade tem levado a Universidade Rovuma a firmar parcerias que a ajudem a intervir nas áreas de acção humanitária e responsabilidade social.

“Refiro-me, neste caso, à parceria com universidades africanas e europeias, no âmbito do projecto internacional intitulado “Acção Humanitária”, que visa melhorar as capacidades de intervenção destas universidades nesta área e a sua consequente profissionalização”, referiu o reitor da UniRovuma.

Brito dos Santos regozijou pela parceria que a UniRovuma firmou com Rádio Moçambique e com a Associação Luta Contra a Pobreza, com vista a disseminação, através da rádio, de conteúdos sobre a acção humanitária e responsabilidade social em Moçambique.

“Este II Fórum está a mostrar que esta temática é do interesse de todos os actores comprometidos com a criação do bem-estar do nosso povo”, adiantou o Prof. Brito dos Santos.

O evento é o segundo do género que se realiza com esta temática, depois do primeiro realizado em finais de Abril último, na cidade de Nampula.

No encontro foram apresentadas comunicações como o papel da mulher no contexto das crises humanitárias em Moçambique; a acção humanitária, responsabilidade social e seu impacto nas comunidades; recursos naturais, responsabilidade social e desenvolvimento local; actores sociais e seu papel na promoção da acção humanitária e responsabilidade social, entre outras.


Imprimir   Email